Gabriela Gusmão lança “Vírgula no Infinito” com tiragem reduzida para colecionadores e amantes de livros de arte

Com apenas 64 exemplares e acabamento primoroso, livro aborda a ação do tempo através de sutis alterações de luz e movimento em diferentes paisagens

Após dois anos de concepção e desenvolvimento, vivenciando três residências artísticas, a artista plástica Gabriela Gusmão lança, em novembro, seu livro “Vírgula no Infinito”, reunindo frames de vídeo-pinturas da sua instalação homônima, em 2011, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM). A edição, em fase de produção em uma gráfica alemã, apresenta uma singularidade curiosa: a tiragem é de apenas 64 unidades, uma referência ao título do livro – oito vezes oito, o infinito ao quadrado.

Impresso em papel LuxoArt, com capa dura, acabamento em baixo relevo sobre linho e costurado à mão, o livro tem texto do crítico de arte Luiz Camillo Osório e surge com status de livro-objeto para colecionadores e amantes de livros. Sua poética aborda a relação da sociedade contemporânea com a dimensão temporal, através de um discurso visual sobre a passagem do tempo, onde a artista registra sutis variações de luz e movimentos em diferentes paisagens. Uma imagem de um relógio sem ponteiros filmado durante uma hora revela a intenção de transcender o tempo das horas contadas e vivenciar o tempo presente.

Dos treze filmes que inspiram o livro, doze foram realizados pela artista em horas específicas do dia, filmados em tempo real, em quadros fixos e com duração de uma hora cada. A série começa com um quadro branco da névoa na “Paisagem tímida” de uma montanha dos pré Alpes, e termina com um quadro praticamente negro ao cair da noite em uma paisagem de ciprestes, ambos os filmes realizados durante residência em Bellagio, no norte da Itália, em 2011.  Notável pelo grafismo, a “Sombra da ausência” apresenta a variação da sombra de uma cadeira desenhada pela luz do sol sobre um fundo de quatro metros de papel branco. Há o registro do escurecimento de uma maçã, intitulada “Sem culpa, sem pecado”, dos leves movimentos de um barco à deriva ao sabor das ondas e do vento em “Pescador de Dois Mundos” e do embalo de uma garrafa de vidro pelas ondas à beira mar com a frase no seu interior “O repouso é uma vibração feliz”, de Gaston Bachelard, na obra “Mensagem para um náufrago”, um convite ao estado contemplativo que o livro proporciona.

No ano de 2011, em Bellagio, sua primeira residência artística, o livro começou a ganhar forma quando foram filmadas e selecionadas vídeo-pinturas que fariam parte da instalação da artista no MAM-Rio no mesmo ano. Um ano depois, em outubro de 2012, também na Itália, desta vez em Veneza,  a residência foi dedicada à escolha dos frames dos vídeos para composição do livro. Durante todo esse tempo, houve contato constante com os designers Carla Marins, Rafael Rodrigues e Mariana Boghosian, que assinam o projeto gráfico do livro. Nos meses de julho e agosto de 2013, a artista esteve em Berlim realizando nova residência através do Transart Institute, quando pesquisou acabamentos, papéis e tipos de encadernação até decidir pela tiragem reduzida assinada em uma gráfica na cidade de Freiburg.

“Este livro é a impressão de uma aventura no tempo. Há dez anos lancei o “Rua dos Inventos”, que foi para mim, uma aventura no espaço, na cidade, encontro com pessoas, a música urbana. Em seguida, entrei noutra pulsação, outro ritmo e isso me levou a deixar o Rio de Janeiro, cidade onde nasci e vivi até três anos atrás. Hoje, vivo em Nova Friburgo e trabalho por onde ando, especialmente durante as residências, quando a produção é muito intensa. A caminho da Alemanha, descobri a gráfica de Freiburg, e não tive dúvidas de que lá seria a casa desse livro, assim como Friburgo é, atualmente, minha casa.”

 

Gabriela Gusmão

 

Gabriela Gusmão é artista visual, com intervenções voltadas para fotografia e filmagem em suporte digital e analógico. Mestre em estruturas ambientais urba­nas pela Faculdade de Arquitetura e Ur­banismo da Universidade de São Paulo – FAUUSP e graduada em Comunicação Visual pelo Departamento de Artes e De­sign da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio.

 

Participa de exposições coletivas e indi­viduais desde 2002, em diversas cidades do Brasil, além de Portugal, Espanha, França e Holanda. Participou de residên­cias artísticas e apresentou seu trabalho em palestras e congressos na Eslovênia, Itália, França, Espanha, Chipre e Turquia. Realizou diversas intervenções urbanas em espaços públicos e idealizou o pro­jeto Urbanário. É autora do livro Rua dos Inventos. Atua também como fotógrafa, câmera e diretora de arte no campo au­diovisual.

Deixe uma resposta